Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Remate Digital

Estoril e Chaves na meia-final

O Remate Digital quer fazer a diferença no futebol português. Sendo assim, enquanto em todos os programas se fala do Sporting ter saído da Taça de Portugal, nós preferimos dar a voz às equipas que passaram e merecem reconhecimento, o Estoril e o Chaves.

Sendo assim, duas páginas de apoio que se associaram ao nosso novo projeto estão aqui para falar da sua passagem às meias-finais da prova rainha.


Por parte do Estoril - asminhascrnicasdomgico.wordpress.com
16105602_1191182487634649_235008080506083113_n
Foto: Facebook Estoril
"Ontem a equipa fez história! O golo apontado por Kléber aos 86 minutos colocou o nosso clube 73 anos depois nas meias finais da Taça de Portugal, batendo a Académica por 2-1 na Amoreira.

Esta foi claramente a melhor exibição da turma canarinha esta temporada, notando-se cada vez mais o trabalho realizado por Pedro Carmona. No primeiro tempo a equipa esteve bastante bem, com muita posse de bola, com remates a baliza e velocidade pelas alas, principalmente através de Alisson Farias, que acabaria por inaugurar o marcador após assistência de Mattheus. Após o golo a turma de Coimbra reagiu e podia ter chegado ao empate perto do intervalo de grande penalidade, mas Kaká permitiu a defesa de Luís Ribeiro (grande exibição).

No segundo tempo a Académica reagiu, muito apoiada pelos cerca de mil adeptos que se deslocaram à Amoreira, chegando ao empate ao 50 minutos por Traquina. O Estoril acusou o golo e a Briosa criou várias chances de golo, mas Luís Ribeiro com uma séria de grandes defesas segurou o empate. Até que ao minuto 86 o recém entrado Kléber de cabeça fez o 2-1, fazendo explodir de alegria os nossos adeptos! Foi o primeiro da temporada para o internacional canarinho neste regresso à Amoreira.

Foi uma vitória suada, mas justa, a primeira de Carmona, que abre um horizonte de melhoria para o nosso clube, que no fim de semana tem uma deslocação difícil a Santa Maria da Feira.

Somos Estoril Praia!"



Por parte do Chaves - https://www.facebook.com/somosgdchaves
Foto de Grupo Desportivo de Chaves.
Foto: Facebook Chaves

"A vitória do crer

Depois de um empate prometedor para o campeonato, Trás-Os-Montes voltou a vibrar, sete anos depois, voltou ás meias finais da taça de Portugal.

Um feito inédito pode acontecer este ano se o Chaves vencer a taça. Caso encontre e vença o Benfica, será a unica equipa a vencer a taça de Portugal eliminando os três grandes.

Mas estamos longe disso, vamos falar sobre elementos mais concretos.

Sobre o encontro de ontem, ninguem tinha dúvidas que o G.D Chaves tinha armas suficientes para vencer. Provou ao longo destes quatro ulitmos mêses que vencer no seu reduto era tarefa complicada. Jogo intenso logo de inicio com um Chaves atrevido no ataque e concentrado na defesa com um Assis de gala a provar mais uma vez a sua qualidade em termos de recuperação de bola. O Sporting tentava ser dono do encontro, com posse de bola, mas sentia-se que alguma coisa faltava aos leões. Obrigados na primeira parte a mexer duas vezes, o Sporting até ficou a ganhar com isso, com as entradas de Bruno Cesar e Campbell, os visitantes conseguiram entrar na area Flaviense com mais perigo. Gelson Martins obteve as duas melhores oportunidades leoninas, mas Antonio Filipe, mais uma vez em grande, defendeu com segurança. O Chaves táticamente estava muito bem, apostou no contra ataque e nas bola paradas para tentar resolver o jogo. Mesmo tendo baixado as suas linhas no inicio da segunda parte, foi sempre a equipa mais perigosa obrigando Beto, homem do jogo do lado sportinguista, a brilhar por três vezes. Perto do final, sentiu-se uma crênça incrível por parte do publico Transmontano, a equipa de Ricardo Soares ia ganhando forças, com mérito para o técnico Flaviense. A entrada de Patrão foi a chave do encontro, previa-se um final de jogo quente, o publico empurrava a equipa como nunca, era o momento de marcar e afundar ainda mais o moral Sportinguista...

Carlos Ponck, jogador emprestado pelo Benfica,  levantou uma região inteira ao marcar de cabeça na sequência de um livre de Patrão aos 87 minutos. Ao rubro, é a palavra certa do que se vivia no Engenheiro Manuel Branco Teixeira.

Quando Artur Soares dias apitou o final do jogo, era a festa, uma festa enorme e merecida para quem trabalhou tanto para conseguir este feito.

Será desta?

Não sei, mas o que sentimos hoje é um orgulho imenso nestes jogadores, equipa técnica e direção.

Vamos pensando jogo a jogo, vem aí o Nacional da Madeira, jogo dificil, importante para atingir a meta dos 40 pontos.

Se me perguntassem qual era a minha palavra final sobre o que se passou ontem?

Até (JA)Amor 🔵🔴"